Brega será reconhecido por lei como expressão cultural de Pernambuco.

Brega será reconhecido por lei como expressão cultural de Pernambuco.

Ritmo se juntará ao frevo, maracatu, caboclinho e manguebeat

O brega recifense pode entrar na lista de expressões artísticas genuinamente pernambucanas. O projeto de Lei nº 1176/2017, de autoria do deputado estadual Edilson Silva (PSOL), foi colocado em pauta, nesta terça-feira (25), e aprovado em primeira discussão na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). "Esse projeto quer inserir o brega como expressão musical e cultural pernambucana junto com o frevo, maracatu, coco, ciranda, cavalo marinho e o manguebeat", explica o deputado ao Viver.

A proposta foi aprovada por unanimidade nas comissões de Constituição e Legislação, Finanças, Administração pública, Educação e Cultura. Ainda haverá uma nova votação no plenário para a aprovação final da PL, para então ser sancionada pelo governador. Segundo o Edilson, é importante incluir o brega no rol de expressões musicais protegidas pelo estado de Pernambuco e fortalecer ainda mais o movimento. "No último carnaval tivemos o ritmo colocado ao lado de expressões vetadas pela Fundarpe. Gêneros como a suingueira e a música sertaneja, estranhos ao povo e que não são produzidos aqui. Mas não é o caso do brega. Isso é muito ruim para os artistas que fazem parte desse movimento".

No dia 14 de fevereiro uma solenidade na Alepe deu início ao projeto. A data é marcada como o Dia Estadual da Música Brega, em homenagem ao nascimento de Reginaldo Rossi. Na ocasião, a reunião contou com a presença das cantoras Priscila Senna, Carlinha Alves e Michele Melo e outros representantes do movimento brega.

O MC Troinha tem dois discos lançados e disponíveis em plataformas como YouTube e Spotify: Arrocha com Troinha e Bonde do Troinha. Recentemente, Balança, balança teve paródia produzida pelo canal de humor Putzvéi. Na versão, quem canta é a MC Mainha.

Fonte da Noticia : Marina Simões - Diario de Pernambuco